Sempre que se fala em obra, desde uma simples ampliação, até uma mega construção, a primeira coisa que vem à mente é o valor a ser investido. Por isso, seja na reforma da casa, seja na construção de um arranha-céu, uma das preocupações é sobre formas de diminuir custos. 

Vale lembrar, no entanto, que nenhuma economia na hora de construir justifica comprometer a qualidade do trabalho, tanto em aspectos estéticos, quanto em estruturais. Até porque, sabe-se que a máxima do barato que sai caro se aplica bem nesses casos.

Mas considerando a prevalência do bom senso, ao distinguir onde é possível economizar, trazemos algumas dicas que podem ser úteis para diminuir custos na construção civil. Confira.

A crise econômica e a necessidade de diminuir custos

O setor da construção civil geralmente é um dos que se sustenta por mais tempo em meio a crises na economia. Isso porque, muitas obras são custeadas por financiamentos, e seguem o ritmo mesmo que a movimentação dos demais setores estejam encolhendo. 

Ainda assim, não é uma atividade onde o orçamento corre frouxo. Ao contrário, para se manter em atividade, além de evitar gastos extras, o setor está sempre em busca de alternativas que possibilitem diminuir custos dos empreendimentos, tanto com materiais, quanto com mão de obra.

Existem várias possibilidades seguras para economizar na hora de construir. 

Algumas valem a pena ser consideradas independentemente do tamanho do que vai ser construído. É o caso da análise do contexto, que inclui o levantamento detalhado de vários indicadores da obra, como o tempo de execução, a quantidade de material, o custo da mão de obra, entre outros.

Outras, porém, se adaptam melhor a determinados tipos de projetos, como a compra de materiais em grandes quantidades, ideal para construtoras ou empreiteiras, que executam obras simultâneas, mas inviável para quem vai construir a própria casa. 

E é sobre essas que vamos nos aprofundar daqui em diante.

Leia o artigo Porque a fibra de vidro diminuir seus custos e o desperdício.

Planejamento para diminuir custos

Uma das principais etapas em qualquer projeto, não necessariamente da construção civil, é o planejamento.

Em relação a uma obra, planejar significa estudar em profundidade o que vai ser feito para entender quais são as fases, em que ordem elas aparecem, quanto tempo leva e o que cada uma exige.

Fazem parte do planejamento a elaboração de projetos (estrutural, arquitetônico, etc.) e da planilha de custos – dois documentos indispensáveis para iniciar uma obra e, também, para diminuir custos, já que neles estarão definidos os materiais necessários e a previsão de gastos.

Mão de obra

O custo da mão de obra na construção civil é bem significativo, podendo chegar a 40% do valor total. Mas ainda assim, é um dos itens que devem passar por uma análise criteriosa antes da contratação.

Às vezes, até se encontra mão de obra mais em conta, porém, a economia acaba se tornando prejuízo quando o resultado não sai conforme o esperado ou quando há desperdício de material, por falta de experiência – e até mesmo de comprometimento – dos profissionais.

Portanto, sim, é importante pesquisar preço de mão de obra para diminuir custos da construção, mas o valor do serviço não deve ser o único requisito para a tomada de decisão.

Conhecer obras construídas pela equipe que pretende contratar, conversar com quem já contratou os serviços, é fundamental para se ter ideia da qualidade do trabalho que será entregue. 

No caso de construtoras ou empreiteiras, vale considerar a história da empresa, o cumprimento dos prazos, o padrão das obras realizadas, enfim, levantar informações que validem tanto a qualidade do serviço prestado quanto a idoneidade no cumprimento dos contratos.

Um mês de atraso na conclusão da obra ou a interrupção do trabalho no meio do processo pode gerar um prejuízo bem maior que o valor economizado na hora de contratar o prestador de serviço.

Sustentabilidade

Cada dia mais as construções estão sendo pensadas a partir de critérios de sustentabilidade, seja por consciência ambiental, seja para diminuir custos. 

Essa preocupação vale tanto para a fase de construção quanto para as funcionalidades disponíveis na obra concluída, ou seja, recursos sustentáveis que vão gerar menos impacto no ambiente ao longo do tempo de utilização do imóvel.

Assim, a adoção de práticas sustentáveis desde a execução da obra pode resultar numa economia significativa ao final do processo. Energia elétrica, água e materiais de construção são os elementos mais básicos que podem – e devem – ser utilizados de forma racional.

Nesse sentido, o planejamento entra em cena mais uma vez. Se as etapas tiverem sido definidas de forma correta e forem executadas conforme o planejado, é bem provável que se faça um bom trabalho utilizando a menor quantidade de recursos. 

A mão de obra qualificada também faz diferença aqui. Profissionais experientes e comprometidos têm noção de aproveitamento de materiais, conseguem organizar a rotina, prevendo a quantidade de cada item que vai ser usada em determinado período.

Essa definição prévia contribui de várias formas para diminuir custos e também com a sustentabilidade. 

Basta imaginar um material que precisa ser transportado com uma empilhadeira, por exemplo. Se for possível fazer esse transporte de uma só vez, que seja feito assim. Sem desperdiçar tempo de máquina e de pessoal fazendo várias ‘viagens’.

Em obras com vários pavimentos, em que são utilizados elevadores, aproveitar a capacidade máxima do equipamento para subir e descer materiais e pessoas também é uma forma de ser sustentável e diminuir custos com energia elétrica.

Tecnologia

Outra forma eficiente de diminuir custos na construção civil é o emprego de tecnologia. E isso pode se dar de diferentes formas – desde a adoção de softwares até a escolha de materiais inovadores.

Em relação a softwares para construção civil, obviamente que se tem os utilizados para a elaboração de projetos, plantas baixas, 3Ds, instalação elétrica, sanitária, etc. Mas também há os softwares de gestão, que permitem controlar a entrada e saída de materiais, bem como gerenciar os funcionários, registrando horários de trabalho e a produtividade diária.

Esses dados possibilitam ajustar os prazos, contratando mais pessoas, reorganizando as prioridades ou redirecionando o pessoal, a fim de garantir a máxima eficiência.

Quanto aos materiais inovadores, também há várias possibilidades no segmento da construção civil. Justamente por conta dos investimentos e dos prazos que uma obra demanda, são frequentes as novidades que prometem diminuir custos, sem perder qualidade.

Uma dessas novidades é o Verga Fibra, um vergalhão de fibra de vidro que substitui os vergalhões de aço tradicionalmente utilizados em construções.

Vergalhão de fibra de vidro

O Verga Fibra foi desenvolvido pela Composite, uma empresa russa que desde 2010 produz esses vergalhões que têm sido empregados cada vez mais em diversos países europeus e também nos Estados Unidos. 

Em 2017, o Verga Fibra chegou ao Brasil, e em 2020 foi inaugurada a Composite Group Brazil, que já está produzindo vergalhões de diversas bitolas que possuem muitas vantagens quando comparados aos de aço.

Entre elas destacam-se leveza, durabilidade, resistência à tração e à corrosão. Além disso, é fácil de ser transportado e manuseado no canteiro de obras. O Verga Fibra de até 12 mm é entregue em rolos e o de 16 mm é produzido sob demanda, atendendo as necessidades de cada projeto, podendo ser entregue em barras de até 100 metros.

Todos esses atributos do vergalhão de fibra de vidro podem diminuir custos de uma obra em até 25%, considerando economia direta e indireta. Para saber mais sobre essa novidade da construção civil, acesse nosso site.