Se tem um fator que desencoraja as pessoas a iniciarem uma construção, é o preço de uma obra. Quem passa por esse processo logo aconselha: “joga pelo menos 30% a mais do orçamento, porque sempre se gasta mais.”

Porém, a verdade é que não precisa ser assim. O orçamento pode, certamente, ser condizente com os gastos.

Há pontos-chave envolvidos nesse processo que, da mesma maneira que podem tornar exorbitante o preço de uma obra, podem manter o orçamento conforme os valores previstos.

Por isso, o primeiro passo para que, ao final, sua obra tenha o preço adequado ao que foi pensado, é fazer um planejamento muito rigoroso.

Para planejar uma obra, é necessário conhecimento. É preciso conhecer materiais, técnicas e o próprio mercado. 

Portanto, se você não é desse mercado, o mais indicado é a contratação de profissionais: minimamente um arquiteto ou um engenheiro civil.

E nas reuniões com esses profissionais, seja muito claro quanto ao valor de investimento possível na obra. Consequentemente, haverá uma redução de problemas durante o processo.

O que aumenta o preço de uma obra?

Dada a principal recomendação antes de se iniciar uma construção, vamos aos principais erros que afetam o preço de uma obra.

1)  Não pesquisar e comprar materiais aos poucos

Primeiramente, o aconselhável é fazer o básico: uma cotação de valores, com muitas pesquisas. Nesse sentido, provavelmente alguns itens terão preços mais altos em local X e outros, mais baixos, quando comparados ao local Y.

Portanto, será necessário fazer uma média dos valores dos vários locais para decidir qual vale mais a pena.

Além disso, na maioria dos casos não é possível adquirir todos os materiais de uma única vez. Porém, é importante reduzir ao máximo o número de compras, já que comprando mais itens por vez, o poder de negociação com a loja é muito maior. 

Por outro lado, quando as aquisições acontecem aos poucos, há menos margem de negociação, e ainda há um gasto maior com as entregas, já que a cada compra, será cobrado o frete.

Assim, a compra de materiais está intimamente ligada a um bom planejamento da obra. Sem pesquisa, com aquisições em cima da hora, os preços provavelmente serão mais elevados.

Dessa maneira, mais uma vez ressaltamos a importância da contratação de bons profissionais.

2) Contratar pessoas não qualificadas influencia no preço de uma obra

Aquele ditado “o barato custa caro” é absolutamente real na hora de contratar pessoas ou empresas para realizar uma obra.

A interpretação equivocada de um projeto e o consequente erro construtivo podem custar muito mais do que contratar uma equipe experiente ou uma empresa especializada.

Além da possibilidade de precisar refazer partes da obra, ainda há a questão do desperdício de materiais. 

Quem não tem bastante experiência (ou é orientado por alguém sem experiência suficiente) talvez não consiga enxergar as melhores maneiras de gerenciamento da obra e de utilização dos materiais.

Igualmente, é necessário que seja estabelecido, de forma clara, como serão as cobranças e pagamentos. Sem um contrato com cláusulas específicas, você pode gastar muito além do pensado inicialmente.

Avalie com calma e considere a melhor opção para o seu orçamento. Ah, não deixe de balancear o orçamento com o prazo desejado para a finalização da obra.

3) Menosprezar os detalhes

“Depois vemos como fazer” e “essa é uma questão pequena” são frases que não devem ser mencionadas durante a realização da sua obra. Especialmente se você quiser manter os gastos conforme o orçamento inicial.

Por exemplo, embora possam parecer pequenos em tamanho (comparativamente ao todo da obra), os acabamentos consomem uma parcela considerável do orçamento.

Para se ter uma ideia: o investimento em cinco torneiras pode passar de R$ 10 mil.

Então, é necessário alinhar expectativas com o que é possível adquirir, de acordo com o orçamento disponível.

4) Não gerir os resíduos

Para além da questão da sustentabilidade, cujas medidas são muito bem-vindas para a sociedade, para as novas gerações e para o planeta, o gerenciamento de resíduos pode ajudar no sentido de manter o orçamento.

Quando não há uma direção para a questão dos entulhos, o material pode ser colocado em local inadequado, precisando ser transportado – o que gera mais dias de trabalho.

Outro ponto é a necessidade de contratação de empresas para o recolhimento dos resíduos. Quanto há um planejamento adequado da obra, fica mais fácil prever quantos e quais serão os momentos em que será necessário contratar esse serviço de recolhimento.

Uma opção para evitar resíduos é a utilização de materiais que podem ser comprados no tamanho necessário para a obra. Com os cálculos adequados, não será necessário cortar e eliminar partes desses materiais, evitando mais custos e mais resíduos.

5) Comprar materiais menos tecnológicos e pouco sustentáveis

Esse é mais um item em que cabe bem a frase “o barato que sai caro”. Certamente materiais menos tecnológicos e menos sustentáveis têm preços menores. Mas e o valor?

O custo-benefício precisa ser levado em consideração no planejamento da obra. Na maioria das vezes, materiais melhores, mais duráveis, mais tecnológicos e mais sustentáveis são, também, os que possuem um custo mais alto.

Entretanto, eles seguirão intactos por mais tempo. E ninguém quer precisar fazer reparos pouco tempo depois de concluída a obra, não é mesmo?

Soma-se a isso a questão de que materiais melhores não provocam problemas de saúde às pessoas ou danos ao meio ambiente.

Verga Fibra é um item que contribui em vários pontos

O vergalhão de fibra de vidro da Composite Group Brazil é um material que ajuda em vários pontos dos quais falamos anteriormente. Em comparação aos tradicionais vergalhões de aço, ele:

– é mais sustentável;

– é mais durável;

– tem melhor custo-benefício;

– gera menos resíduos (pois pode ser fabricado no tamanho necessário para a obra).

Conheça mais sobre o Verga Fibra e entre em contato conosco. Ficaremos muito felizes em atendê-lo e contribuir com sua obra!