Quando o assunto é construção, uma das preocupações é como reduzir gastos, sem comprometer a qualidade, obviamente. 

Já falamos um pouco sobre esse assunto nesse post, e neste conteúdo vamos focar na questão do desperdício, que pode ser de tempo, de material e até mesmo de outros recursos que podem ser evitados a partir de escolhas inteligentes. 

Reduzir gastos na mão de obra

Uma situação bastante comum na hora de construir é tentar reduzir gastos com mão de obra. Quem nunca, não é?

Contudo, essa nem sempre é uma decisão assertiva, por isso, muitas variáveis precisam ser avaliadas antes de contratar os profissionais ou a empresa que vai assumir a execução da obra.

Quando a mão de obra é barata, muito abaixo da média do mercado, duas situações são bastante frequentes: o desperdício de tempo e o desperdício de material.

Desperdício de tempo

Muitas vezes, na intenção de reduzir gastos, opta-se por contratar mão de obra ‘mais em conta’. Sim, é possível encontrar profissionais que cobrem menos e entreguem um trabalho de qualidade. 

Contudo, se essa for sua decisão, é importante que busque referências antes de fechar o contrato. E, certifique-se de incluir no acordo o cumprimento de prazos e o padrão do trabalho que espera.

Mas por que tantos cuidados?

Profissionais ou empresas que oferecem seus serviços por valores muito divergentes da maioria estão mais propensos a entregar um trabalho mal feito ou então demorar muito mais tempo para concluir a obra.

Isso porque, geralmente, não são ‘profissionais’ de verdade. Não se comprometem com o trabalho, não se preocupam em cumprir horário ou em fazer do jeito certo. Ou levam mais tempo para fazer o serviço ou o fazem rápido demais e de qualquer jeito. 

Nessa situação, das duas uma: 

  • se o valor for calculado por dia e o trabalho levar o dobro do tempo para ser concluído, você vai pagar o dobro do que esperava. Com a diferença no valor, poderia ter contratado mão de obra qualificada;
  • se o trabalho for feito de qualquer jeito, provavelmente terá que ser refeito. Isso vai exigir mais material e mais horas de trabalho. Ou seja, a intenção de reduzir custos se transformou num gasto extra.

Para resumir, a escolha pela mão de obra deve se basear no equilíbrio entre um valor justo e a qualidade da entrega. Economizar a todo custo, nem sempre é a melhor forma de reduzir custos.

Desperdício de materiais

Já comentamos acima sobre o desperdício de materiais que ocorre quando os profissionais não têm qualificação ou não estão comprometidos com uma entrega de qualidade.

Porém, nem todo desperdício é intencional. Por mais qualificado e responsável que seja o construtor, há situações em que ele não tem o que fazer se não descartar partes dos materiais por não se ‘encaixarem’ perfeitamente na obra que está sendo construída. 

Isso acontece com revestimentos, por exemplo. Nem sempre as peças usadas para revestir pisos e paredes têm o tamanho adequado para preencher a área a ser revestida. E aí é necessário cortar algumas peças para encaixá-las.

Dependendo das medidas, é possível aproveitar todas as partes – digamos que seja cortada ao meio, por exemplo. Mas nem sempre é isso que acontece, e uma das partes acaba sendo descartada. 

Nesse caso, a experiência do profissional também conta muito, pois ele consegue melhorar o aproveitamento do material, analisando previamente a melhor forma de executar o serviço, e reduzindo o desperdício.

Como reduzir gastos com tecnologia

Felizmente, nem todos os gastos com uma obra dependem dos profissionais que a executam. Há formas de reduzir custos lançando mão de métodos e produtos inovadores.

Em relação aos métodos, você pode ler mais no nosso ebook sobre tendências na construção civil.

Já sobre produtos inovadores, vamos falar das vantagens de usar o vergalhão de fibra de vidro, uma tecnologia russa que foi trazida para o Brasil pela Composite Group Brazil.

Como o Verga Fibra contribui para reduzir gastos na construção civil

O vergalhão de fibra de vidro começou a ser produzido recentemente no Brasil. Contudo, já vem sendo aplicado há bastante tempo na Rússia, em outros países europeus e nos Estados Unidos.

E como essa novidade pode contribuir para reduzir custos na hora de construir?

Vamos às vantagens do Verga Fibra em relação ao vergalhão de aço, que é tradicionalmente usado na construção civil.

  • mais forte – sua resistência à tração é de 1000 MPa, enquanto a do aço é 390 MPa.
  • mais leve – o peso do metro linear (8 mm) é quase cinco vezes menor que o da mesma quantidade de aço, sendo 0,08 kg e 0,395 kg, respectivamente.
  • melhor aproveitamento – as barras de aço, via de regra, são vendidas em barras de 12 metros; o Verga Fibra pode ser produzido sob demanda, com até 100 metros de comprimento para a bitola de 16 mm. Nas bitolas menores (de 4mm a 12 mm), por ser flexível, é entregue em rolos de até 200 metros
  • mais durável – embutido no concreto, tem durabilidade de 80 anos ou mais; o aço, dura em média 50 anos. A diferença está na sua composição: como não tem metal, o Verga Fibra é imune à corrosão.
  • mais seguro – por não conter metal na sua composição, ele também não conduz eletricidade ou calor. 

Por todos esses fatores, o Verga Fibra é uma boa opção para quem deseja reduzir custos sem comprometer a qualidade da obra.

Indo além das características que por si só já representam economia, indiretamente, o vergalhão de fibra de vidro da Composite contribui para redução de custos com outros itens da construção:

  • é fácil de ser transportado e manuseado; logo, diminui os gastos com transporte e equipamentos para corte e dobra;
  • pode ser feito sob medida, reduzindo a quantidade de pedaços excedentes, ou seja, se o emprego dele for bem planejado, não haverá sobras;
  • a menor quantidade de rejeitos em uma construção, principalmente se for de grande porte, gera menos custo com descarte correto (como a contratação de caçambas para coleta de entulhos).

Para saber mais sobre como reduzir custos na sua obra com nosso vergalhão de fibra de vidro, entre em contato conosco. Será um prazer mostrar todas as vantagens do Verga Fibra.