A sustentabilidade diz respeito a dar conta de atender às necessidades atuais dos seres humanos, porém, sem comprometer os recursos naturais à humanidade no futuro.

Essa forma de pensar sobre o que é oferecido pelo planeta ao ser humano pode ser considerada relativamente recente, diante do tempo de história da humanidade.

Foi somente na década de 1970 que a base do conceito de sustentabilidade surgiu. Isso ocorreu na Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, mais precisamente em 1972.

O evento ficou marcado na história como o primeiro a ter uma conferência da ONU cujo tema foi o meio ambiente.

Naquele momento, definiu-se que para ser “sustentável” é necessário buscar a preservação do meio ambiente para que ele possa ser utilizado pelo próximo.

E isso tem relação com todas as ações cotidianas – das pequenas às grandes.

O tema ganhou ainda mais destaque mundial com a Eco 92, evento que aconteceu no Rio de Janeiro e fortaleceu as discussões a respeito da ecologia. As discussões desse evento histórico geraram a Agenda 21.

O documento foi uma espécie de acordo, de pacto entre vários países, com vistas a ações que solucionassem problemas socioambientais do mundo.

Porém, foi uma década depois que “ecologia” deu lugar ao conceito de desenvolvimento sustentável.

As discussões foram na África do Sul, em 2002. O entendimento do conceito foi amplificado, passando de uma visão exclusiva de meio ambiente para uma ideia de tripé, envolvendo também os fatores sociais e econômicos.

Essas três dimensões, tal qual um tripé, são interdependentes e completamente relacionadas.

Sustentabilidade na sociedade

Embora as ações para a sustentabilidade nasçam no individual, é essencial que elas cresçam.

Portanto, para impactos positivos ainda maiores em prol da sustentabilidade, é preciso que organizações, empresas e a sociedade, como um todo, se engajem. 

Isso porque é preciso que haja uma visão mais solidária entre os entes da sociedade para que se leve a cabo as três dimensões da sustentabilidade. 

Portanto, uma empresa, para se declarar sustentável, precisa estar em dia com todas as dimensões.

Quando isso ocorre no aspecto ambiental, isso influencia a vida de pessoas que trabalham com materiais recicláveis, por exemplo. 

Porém, se negligenciar questões de segurança do trabalho aos funcionários, a empresa realmente não é sustentável.

Sustentabilidade na Composite

A sustentabilidade é uma questão muito cara à Composite. Nossa visão de mundo considera isso extremamente importante, e se alinha totalmente à sustentabilidade como um Norte na nossa atuação.

Tanto o nosso produto quanto o pensamento em oferecer algo mais durável e de custo-benefício muito mais valioso, fazem parte dessa nossa “filosofia” enquanto empresa.

No aspecto ambiental, que talvez seja nosso ponto mais forte com relação à sustentabilidade, oferecemos um produto que em sua essência é mais adequado ao novo momento que leva muito a sério a sustentabilidade.

A fibra de vidro ou Polímero reforçado com fibras de vidro (PRFV), principal matéria-prima do Verga Fibra (o vergalhão que produzimos), traz várias vantagens no sentido da sustentabilidade.

Inicialmente, quando o processo produtivo é feito com responsabilidade  – como é o caso da Composite – há menor geração de resíduos prejudiciais. Além disso, há um grande cuidado com os descartes necessários.

O produto Verga Fibra trata-se de um material bastante tecnológico. Pode ser considerado inovador, especialmente no Brasil por ainda ainda ser pouquíssimo utilizado enquanto vergalhão.

Ele é resistente e, dessa forma, oferece longa durabilidade. Estudos apontam que esse tempo chega a, no mínimo, 80 anos.

Os vergalhões de fibra de vidro mantêm seu desempenho sem decomposições, corrosões ou reações a ácidos.

A conservação por mais tempo resulta em menor necessidade de substituição e reparação dos vergalhões. 

Portanto, não são gerados resíduos, que, muitas vezes, são descartados de maneiras inadequadas e prejudicam imensamente solos e mananciais de água.

Mais Benefícios

Além de manter-se sem decomposição ou corrosão, há um benefício com o uso dos vergalhões de fibra de vidro: a estrutura de concreto torna-se mais durável por não haver corrosão ou tensões internas.

Falando em sustentabilidade econômica, como há menos substituições e reparos, naturalmente os gastos já ficam reduzidos. 

De qualquer maneira, a utilização do vergalhão de fibra de vidro na construção pode reduzir o custo em até 25% quando comparada ao aço.

Porém, isso não é tudo: há outros pontos a serem levados em consideração.

Como o vergalhão de fibra de vidro é mais leve que o tradicional, feito de aço, menos viagens precisam ser feitas para o transporte do material.

Além de menos emissões de gases poluentes, há menos gastos para o transporte. São trabalhadas, portanto, duas dimensões da sustentabilidade em uma só ação.

Os trabalhadores que manuseiam o material no transporte também precisarão de menos esforços físicos quando se trata de vergalhões de fibra de vidro.

A Composite no Brasil é bastante recente (leia aqui um texto específico e aprofundado a respeito da nossa história), mas tem a intenção muito genuína de fazer diferença no setor da construção civil do nosso país.

E isso, certamente, inclui a sustentabilidade.

Acesse nosso site, leia mais a respeito do Verga Fibra em nosso blog e entre em contato!